AVISO

O administrador deste blogue
não é responsável pelas opiniões
veiculadas por terceiros
nem a sua publicação quer dizer
que delas partilhe, apenas as
publica como reflexo da
sociedade em que se inserem
dando-lhes visibilidade
mas nunca fazendo delas opinião própria.
Ao desenvolturasedesacatos reserva-se ainda o direito
de eliminar qualquer comentário anónimo ou não identificado, que contenha ataques
deliberadamente pessoais, que em nada contribuampara o debate de ideias ou para a denúncia
de situações menos claras do ponto de vista ético.


quarta-feira, 7 de junho de 2017

EU

TODAS ESTAS DÉCADAS DE POLÍTICAS DE DIREITA E QUE LEVARAM O PAÍS AO ESTADO EM QUE SE ENCONTRA NÃO ENCONTRARAM EM MIM QUALQUER ECO, QUALQUER APOIO E SEMPRE ESTIVE NA LINHA DA FRENTE ANTES E DEPOIS DO 25 DE ABRIL, DENUNCIANDO E COMBATENDO O FASCISMO DE ANTES E O FASCISMO MODERNO DE HOJE.

NÃO SOU RESPONSÁVEL UM MILÉSIMO PELO ELEGER DOS GATUNOS, DOS CORRUPTOS, DOS QUE TÊM SANGUE DE INOCENTES NAS MÃOS, DOS QUE ROUBARAM TECTO A FAMÍLIAS, DOS QUE EMPOBRECERAM O MEU POVO.

SER COMUNISTA EMBORA POR MUITOS DIFAMADO, SER COMUNISTA SOFRENDO OS ATAQUES DOS QUE VIVEM A VIDA ENRAIVADOS, CHEIOS DE ÓDIO, DE INVEJA, LAMBENDO O CU DO CAPITAL DÁ-ME FORÇA PARA SEGUIR SEMPRE EM FRENTE E NÃO FOSSE FISICAMENTE JÁ AVANÇADO NA IDADE O SERIA CADA VEZ MAIS IMPLACÁVEL.


António Garrochinho

SEMPRE IGUAL A SI MESMO ! MAIS UMA FACADA DO PS - Iniciativas legislativas do PCP e do BE são votadas na próxima sexta-feira PS trava fim do banco de horas



O PS junta-se ao PSD e ao CDS-PP para rejeitar a revogação da adaptabilidade e do banco de horas – condicionado pelos acordos com o patronato e a UGT, e a velhas opções pela desregulamentação dos horários de trabalho.

O ministro do Trabalho, Vieira da Silva, comprometeu-se com o patronato e a UGT em fazer passar quaisquer alterações à legislação laboral pelo seu crivo
http://www.abrilabril.pt/sites/default/files/styles/jumbo1200x630/public/assets/img/vieiradasilva_res_1.jpg?itok=4qP39u-q
O ministro do Trabalho, Vieira da Silva, comprometeu-se com o patronato e a UGT em fazer passar quaisquer alterações à legislação laboral pelo seu crivoCréditos
Em discussão no plenário da Assembleia da República estiveram cinco projectos de lei, três do PCP, propondo a revogação dos mecanismos de adaptabilidade e banco de horas, nas modalidades individual, grupal, por regulamentação colectiva e na Função Pública.
O BE agendou a discussão de duas iniciativas, uma eliminando os regimes do banco de horas e de adaptabilidade, mas apenas na modalidade individual, e outra de alteração ao regime de contratação a termo.
No caso dos comunistas, as propostas que deram entrada no Parlamento há mais de um ano, a serem aprovadas, eliminam os mecanismos de flexibilização dos horários de trabalho impostos pelo governo do PSD e do CDS-PP, que proporcionam aos patrões trabalho não remunerado – aumentar os tempos de trabalho sem compensação correspondente.
Já a iniciativa do BE, incide apenas sobre a modalidade individual (por negociação directa entre um trabalhar e o patrão), deixando de fora as restantes. Sobre as alterações aos contratos a termo, o partido justifica o carácter minimalista da proposta com as conclusões do grupo de trabalho que constituiu com o PS. Por terem sido entregues apenas na última semana e não terem sido alvo de discussão pública, a votação de ambos os projectos ainda não foi agendada.
Ricardo Bexiga (PS), em resposta a uma questão do BE, justificou a rejeição dos diplomas sobre a adaptabilidade e o banco de horas individual por parte da sua bancada com o acordo que o Governo firmou com os patrões e a UGT, assumindo o compromisso de não alterar a legislação laboral até 2018 e só o fazer por acordo na Concertação Social.
Já quanto aos mecanismos de adaptabilidade e banco de horas grupal ou por regulamentação colectiva, o deputado do PS revelou a recusa do seu partido em revogá-los.
Em resposta, a deputada Rita Rato (PCP) lembrou que as soluções «tardam, como do pão para a boca» e que não podem ficar sujeitas ao «veto» das organizações patronais. Dando como exemplo um episódio em que um dirigente da Sonae foi aos locais de trabalho pressionar os trabalhadores a aceitar o banco de horas grupal, considerou que esse mecanismo é mais um instrumento ao alcance do patronato para retirar direitos e salários – recorrendo à chantagem e ao assédio. «É preciso passar das palavras ao actos», concluiu
A votação das iniciativas do PCP, em plenário, está agendada para esta sexta-feira.

www.abrilabril.pt

RIR É O MELHOR REMÉDIO

RIR É O MELHOR REMÉDIO 
Cecília Dias

BOM, COMO SABEM, O MEU ESTILO NÃO É CALÃO...
Só que achei graça, pois vi aqui bem retratado o alentejano quando é satirizado pela gente esperta da cidade....
Loja do alentejano
Um alentejano tinha uma Loja, que ganhou fama nacional e até
internacional, pois tudo o que uma pessoa precisasse, encontrava na
danada da sua loja.
Desde queijo e azeitonas, passando por linguiças e torresmos, até
peças para BMW, Ferrari e Boeing 737. Era incrível!
Um “fino” da cidade soube da fama da loja e um dia, a caminho do
algarve, parou e entrou numa de achincalhar o homem.
Ocorreu então a seguinte conversa:
- Boa tarde, ouvi dizer que nesta mercearia tem de tudo!
- Pois é, tem umas coizinhas sim, senhor doutor...
- Tem PODELA?
O alentejano, meio surpreso, não deu parte e respondeu:
- Hoje não tenho, mas, se o Patrão passar aqui amanhã, eu vou ter...
- OK, então depois eu passo por aqui.
O finório saiu deixando o alentejano encabulado.
Não era para menos, o outro tinha inventando a palavra, só para sacanear.
- Podela, podela, quem é que terá? O que é isso? - pensava o pobre
homem. No final da tarde, fechou a loja e foi indagar se alguém sabia
o que era PODELA, mas não encontrou ninguém que soubesse o que era.
Com medo de que a loja perdesse a fama e desesperado foi para casa,
bebeu umas valentes pingas, comeu uma tremenda feijoada com torresmo e
chouriço e fechou com uma bela Sericaia e Ameixas de Elvas.
Acordou de madrugada com uma tremenda dor de barriga, foi à casa de
banho e mandou aquele “barro” que nem ele conseguia aguentar o cheiro.
Colocou aquela “coisa” num forno bem quente e, após algumas horas, já
bem seco retirou-o e moeu-o até virar pó e a empacotou.
De manhã, pegou o pacote e foi para loja. Pouco depois chegou o
lisboeta todo cheio de si e louco para ver a cara do alentejano
admitir que não tinha a sua encomenda.
- E aí “compadre”, conseguiu a minha encomenda?
- Claro, tá aqui, o senhor dê uma provadinha só para ver se está como quer.
O “chico esperto”:
- Dê cá isso.
E lixado da vida, encheu a mão daquele pó e colocou na boca:
- Ó cum raio, isto aqui é merda!
E o Alentejano:
- Merda não, Sr. Dr.! É o "PÓ DELA".

SANTA CASA & MONTEPIO



Empresa proíbe activistas sindicais de trabalhar Repressão patronal na Unicer


A empresa de bebidas vedou o acesso às suas instalações a um delegado e a um activista sindicais de empresas externas que trabalham para a Unicer, após exigência de «fim imediato do trabalho precário» por parte dos trabalhadores.
https://www.abrilabril.pt/sites/default/files/styles/jumbo1200x630/public/assets/img/unicer2.jpg?itok=dvHlgK_C
Greve dos trabalhadores da Unicer no dia 16 de Dezembro de 2015

A decisão «resulta num despedimento encapotado e na sonegação do direito ao trabalho, por parte da Unicer», denuncia o Sindicato dos Trabalhadores da Agricultura e das Indústrias de Alimentação, Bebidas e Tabacos de Portugal (SINTAB/CGTP-IN).
De acordo com o sindicato, a repressão sobre os representantes dos trabalhadores deu-se na sequência de plenários conjuntos dos trabalhadores da Unicer e das empresas externas que operam nas instalações de Leça do Balio, onde foi decidido exigir «o fim imediato do trabalho precário», no quadro de um processo reivindicativo.
Apesar de os dois trabalhadores em causa não terem um vínculo com a Unicer, é para essa empresa que prestam trabalho. Segundo o SINTAB, mais de metade dos trabalhadores da área industrial são subcontratados através de vínculos precários.
Com esta decisão, o delegado e o activista sindicais ficam impedidos de trabalhar, já que a Unicer lhes vedou o acesso àquele que é o seu local de trabalho, sem que lhes tenham sido comunicados os motivos.

www.abrilabril.pt

E EU QUE PENSAVA QUE ELE ERA PEDREIRO - HOMEM QUE ATACOU POLÍCIA COM MARTELO EM PARIS É DOUTURANDO EM JORNALISMO


O polícia agredido na tarde de terça-feira junto à catedral de Notre Dame, em Paris, tem apenas ferimentos ligeiros. O agressor, ferido a tiro pela polícia, está hospitalizado e poderá ser interrogado nas próximas horas.
O homem agrediu um polícia com uma martelada na nuca, ao mesmo tempo que gritava: “Isto é pela Síria”.
As autoridades fizeram recolher cerca de 900 pessoas na catedral de Notre-Dame, que ficaram retidas durante cerca de duas horas.
No local, o ministro francês do Interior, Gérard Colomb, disse: “ Passámos de um terrorismo muito sofisticado a um terrorismo no qual qualquer ferramenta pode servir para cometer agressões”, acrescentando: “estamos a estudar, como vocês sabem, o prolongamento do estado de emergência e, eventuamente, a criação de leis que permitam no fim ao estado de emergência prevenir este tipo de situações”.
O ataque não foi ainda reivindicado. O homem identificou-se como um “soldado do califado”, em referência ao califado autoproclamado em 2014 pelo grupo Estado Islâmico. De acordo com os documentos que transportava, o atacante é um indivíduo de 40 anos, nascido na Argélia e estará a desenvolver uma tese de doutoramento sobre os média da África do Norte, na Universidade de Metz , em França.

VÍDEO

video



pt.euronews.com

O PROF. BACALHAU E AS PROMESSAS DOS GRANDES PROJECTOS

PARA OS QUE NÃO SABEM, OS QUE VEEM E OS QUE FINGEM NÃO VER.
O PROF. BACALHAU, PSD, E OUTROS, SENTEM-SE BEM A APRESENTAR PROJECTOS NO VALOR DE 170 MILHÕES DE EUROS COMO NO CASO DO PORTO DE FARO MAS NAS FREGUESIAS RURAIS O DESPREZO É CRÓNICO E ESCANDALOSO.
AGORA NA FREGUESIA DE SANTA BÁRBARA DE NEXE, A QUE MAIS PAGA, A CMFARO NÃO TEM DINHEIRO PARA REPAVIMENTAR OS 5 KM DA ESTRADA DOS GORJÕES E SÓ VAI EXECUTAR OBRAS NA METADE DO PERCURSO.
ISTO É GOZAR COM A POPULAÇÃO !
ESTA POLITICA DOS PAPA ALMOÇOS LARANJA É INSUPORTÁVEL !
AG

os anti fascistas

RESPEITO TODOS OS ANTI FASCISTAS, OS QUE SÃO !

NO ENTANTO É PRECISO NÃO CONFUNDIR ESTE "RESPEITO" COM OS QUE FORAM E OS QUE DEIXARAM DE O SER.
QUEM SE VALEU DO PASSADO MAS DEPOIS VIROU O BICO AO PREGO !

OS QUE ERAM ANTI FASCISTAS E DEIXARAM DE O SER POR ALGUMA RAZÃO TRAÍRAM, MUDARAM DE POUSO, E AS RAZÕES PARA QUE TAL ACONTECESSE NÃO SÃO DIFÍCEIS DE DISCERNIR.

ONDE ESTÃO AGORA ?
QUE REPRESENTAM NA VIDA POLÍTICA ?
DE QUE VALORES HISTÓRICOS SE SERVEM PARA QUEREREM DEMONSTRAR O QUE NÃO SÃO ?

QUE ARGUMENTAÇÃO TÊM PARA JUSTIFICAR O DESPREZO QUE HOJE PRATICAM E DEMONSTRAM PARA COM OS EXPLORADOS, OS FRÁGEIS, OS MARGINALIZADOS ?

AS VÍTIMAS NÃO SÃO IGUAIS NO ANTES E NO AGORA ? NÃO VEEM ESSES TROCA TINTAS E VENDIDOS QUE A AUSÊNCIA DE JUSTIÇA, A FALTA DE LIBERDADE, A LUTA PELO PÃO, TEM OS MESMOS INIMIGOS DE SEMPRE ? O CAPITALISMO, O IMPERIALISMO, O FASCISMO !

QUE VÃO MORRER LONGE


António Garrochinho

07 de Junho de 1494: Assinatura do Tratado de Tordesilhas


Este tratado foi celebrado entre D. João II, rei de Portugal, e os Reis Católicos, a 7 de junho de 1494, em Tordesilhas, perto de Valladolid, em que se fazia uma divisão do mundo em duas zonas de influência, uma portuguesa, a outra espanhola.A assinatura do tratado é o culminar de um longo processo negocial entre Portugal e Castela pela posse das terras descobertas. Este processo vem já do século XIV, com a disputa pela posse das Canárias, e origina o Tratado de Alcáçovas de 1479. Nele, Portugal renunciava às Canárias, enquanto Castela deixava para Portugal todas as outras ilhas atlânticas e o comércio da costa africana. Em 1480 assina-se o Tratado de Toledo, que confirma o Tratado de Alcáçovas. Mas em 1492 dá-se a chegada de Cristóvão Colombo à América, que origina nova disputa sobre a sua posse. D. João II invoca o Tratado de Alcáçovas e reivindica para Portugal a sua pertença. Os Reis Católicos, que enviaram a expedição, reclamam para o papa Alexandre VI. Sucedem-se as negociações e em 1493 o papa, por bula, marca uma linha divisória que passava por um meridiano situado 100 léguas a oeste do arquipélago de Cabo Verde. D. João II não aceita essa divisão. É por isso que se diz que D. João II já teria conhecimento da existência do Brasil.O monarca português propõe negociações aos Reis Católicos e marca-se uma reunião, primeiro para Simancas e depois para Tordesilhas. Nesta reunião os Reis Católicos aceitam que a linha traçada por Alexandre VI passasse num meridiano a 370 léguas para oeste de Cabo Verde e não a 100, passando o mundo a estar dividido em duas zonas de influência: uma de Espanha, as terras conhecidas ou a descobrir a ocidente desse meridiano; outra de Portugal, as que ficassem a oriente. Este tratado, celebrado em 1494, foi depois sancionado pelo papa Júlio II em 1506.

Tratado de Tordesilhas. In Infopédia [Em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2012. 
wikipedia  (Imagens)




Ficheiro:Treaty of Tordesillas.jpg
Folha de rosto do Tratado de Tordesilhas (1494)
Ficheiro:Cantino Planisphere.jpg


Planisfério de Cantino (c.1502) mostrando o meridiano de Tordesilhas e o resultado das viagens de Vasco da Gama à India, Colombo à América Central, Gaspar Corte-Real à Terra Nova e Pedro Álvares 
Cabral ao Brasil, (Biblioteca Estense, Modena)


07 de Junho de 1848: Nasce o pintor Paul Gauguin.


No dia 4 de Abril de 1891, o pintor Paul Gauguin embarcou para o Taiti em busca de novas inspirações e sensações. O artista estava então no auge da fama e havia levado a efeito uma primeira revolução pictórica. A sua viagem iria ocasionar uma novidade e mudar a visão das pessoas sobre a Polinésia.


Paul Gauguin nasceu a 7 de Junho de 1848 na família de um jornalista republicano. Tinha como avó materna Flora Tristan, uma militante operária que reivindicava uma origem peruana e se dizia filha adulterina de Simón Bolívar. O seu pai, obrigado a exilar-se após o golpe de Estado de Luis Napoleão Bonaparte, levou a família a uma estadia de vários anos em Lima. Por força dessa experiência, o pintor cultivaria ao longo da sua existência supostas “origens incas".


Ao  aproximar-se dos 30 anos, Gauguin - empregado de uma casa de câmbio e pai de 5 filhos -  abandona o trabalho e depois a família para se dedicar plenamente à pintura. Ele chega a participar dos últimos lampejos do impressionismo para em seguida comprometer-se com a arte  simbolista e decorativa. Em busca de novas sensações,  estabelece-se em 1886 na Bretanha, onde se encontra com outros pintores de vanguarda.


Ao simplificar os seus desenhos e cores e ao abandonar o modelo e a perspectiva, o pintor  afasta-se da imitação da natureza. O seu estilo é adoptado pelos jovens artistas da escola de Pont-Aven, entre os quais Emile Bernard e Paul Sérusier, dando origem ao movimento dos ”Nabis”.


Em 1888, após uma viagem aventurosa pela América do Sul, Panamá e Martinica, Gauguin recebe a proposta de Vincent Van Gogh para se juntar a ele em Arles, na casa onde o pintor projectava criar o “Atelier do Meio Dia”. O encontro viria a ser marcado por discussões a ponto de Van Gogh, num momento de desespero, ter cortado a orelha.

De volta a Paris, Gauguin aproveita a venda de algumas telas para organizar a sua viagem ao Taiti.

No Taiti, colonizado pela França, o pintor buscou entre os indígenas maoris novas fontes de inspiração. Porém, a realidade trivial  decepciona-o e ele regressa à Europa em Julho de 1893.


No entanto, dois anos mais tarde, ele retorna ao Taiti e em Agosto de 1901, às Ilhas Marquesas, ainda virgens e distantes da civilização ocidental. Nos seus refúgios na Polinésia Francesa, Gauguin  comporta-se como um colono comum, reivindicativo em relação à administração, menosprezando os indígenas, amante do álcool e apreciador de mulheres jovens.


As suas pinturas e esculturas representam o amor triste e os olhos vagos dos indígenas. Marcadas de pontos de interrogação – de onde viemos? Quem somos? Para onde vamos? – elas traduzem as angústias de uma cultura em crise. Morre na miséria, abatido pelo alcoolismo, em 8 de Maio de 1903, nas Ilhas Marquesas.

Fontes: Opera Mundi
wikipedia (imagens)
File:Paul Gauguin 1891.png
Gauguin cerca de 1891
File:Paul Gauguin 044.jpg
A Sesta - Paul Gauguin
Paul Gauguin 056.jpg

Mulheres de Taiti na Praia -  Paul Gauguin

IMPÉRIO MALDITO | Contra a transformação da Grécia num centro de operações da NATO






















KKE*

Os 15 membros do Grupo Parlamentar do KKE colocaram uma pergunta aos ministros dos Negócios Estrangeiros e da Defesa sobre o desenredar o país de intervenções e guerras imperialistas.

Pergunta
Aos ministros da Defesa e dos Negócios Estrangeiros
Tema: Desenredar o país de intervenções e guerras imperialistas.

As decisões dos governos da ND e do PASOK nos anos anteriores, assim como as do governo SYRIZA-ANEL hoje, a favor do envolvimento da Grécia em intervenções e guerras imperialistas, colocaram e continuam a colocar nosso país, nosso povo em grandes riscos e perigos.

A palavra de ordem "Nem terra nem água para os assassinos do povo" tem sido manifestado historicamente pelo nosso povo. Ele bradou isso durante a guerra desencadeada pelos EUA, NATO e UE contra a Jugoslávia em 1999 e nas guerras posteriores no Afeganistão, Iraque, Síria e Líbia. Nosso povo gritou-a em manifestações por todo o país, denunciando as decisões do governo a favor da participação de forças militares gregas em exercícios da NATO, a cedência da base de Suda e de outras bases militares e centros de comando para os planos imperialistas mais gerais.

Nestes dias, o povo trabalhador, a juventude, com manifestações de massa em Hania, exigiu o encerramento da base EUA-NATO em Suda, ao passo que em Alexandroupoli e outras cidades na Trácia exigiram que nenhum território grego fosse usado para o trânsito de forças militares estrangeiras que participam no exercício "Noble Jump" da NATO na Roménia.

Segundo informações publicadas, 4000 oficiais militares da Albânia, Bulgária, Grã-Bretanha, EUA, Espanha, Letónia, Roménia, Noruega, Holanda e Polónia participarão no exercício da NATO na Roménia. A Grécia participa no exercício providenciado apoio como "Nação Hospedeira", durante o trânsito de unidades militares britânicas, espanholas e albanesas através do Norte da Grécia pela via do eixo Alexandroupoli-Ormenio e Krystallopigi-Promachonas.

Segundo declarações oficiais, o governo grego está comprometido a "providenciar facilitação no aeroporto e no porto marítimo de Alexandroupoli durante o posicionamento e reposicionamento de pessoal e veículos. Acomodação para pessoal. Serviços para sua escolta e segurança durante a recepção, trânsito e despedida do país. Operação e equipe de pessoal do centro de coordenação local em Alexandroupoli. Facilitação para logística e serviços de tratamento médico. Acesso a comunicações terrestres e por satélite".

É um facto que este exercício da NATO também prepara o terreno para novas guerras e intervenções, para a formação de uma força militar inter-estatal capaz de ser utilizada contra os povos, sempre que requerido.

O governo SYRIZA-ANEL, seguindo o caminho dos governos anteriores e em nome da chamada doutrina geoestratégica reforçada, arca com sérias responsabilidades porque proporciona território grego, as bases militares do nosso país e assistência multifacética ao aparelho assassino da NATO.

Dentro destas circunstâncias, as posições e a luta do KKE e do movimento dos trabalhadores adquire significado especial: "Nem terra nem água para os assassinos do povo", desvinculação imediata do país de intervenções e guerras imperialistas, encerramento da base de Suda e de outras bases e centros de comando dos EUA-NATO, retorno das forças militares gregas das missões no exterior, a completa desvinculação do nosso país da NATO e de outras organizações imperialistas.

Pergunta-se aos ministros qual é a posição do governo quanto à exigência do povo para que o país não seja envolvido nos planos imperialistas e para que o território grego, acampamentos e secções das Forças Armadas Gregas não sejam utilizadas no exercício "Noble Jump" da NATO nem em outros exercícios militares semelhantes?

Qual é a posição do governo quanto à exigência popular da não renovação do acordo com os EUA respeitante à base de Suda, o encerramento desta base e de outras bases EUA-NATO que são dirigidas contra o nosso povo e outros povos?" 

*O original encontra-se em inter.kke.gr/... 

Este documento encontra-se em http://resistir.info/ 

paginaglobal.blogspot.pt

CIDADANIA & Cª

CUIDADO COM OS "MOVIMENTOS DE CIDADANIA" OS JÁ EXISTENTES E OS QUE ESTÃO A SER CRIADOS.

TENTAM ESTES NÃO PARTIDOS, ESTES ASPIRANTES AO PODER, PASSAR A IMAGEM DE QUE TODOS SÃO BEM INTENCIONADOS E QUE PODERÃO SUBSTITUIR OS PARTIDOS, OS MAUS E OS BONS.

NESSES MOVIMENTOS EXISTE POR PARTE DE QUEM OS ENCABEÇA GENTE QUE JÁ SE FARTOU DE "GAMAR" O POVO, GENTE QUE NÃO ROUBOU PORQUE NÃO PÔDE E GENTE QUE QUER ROUBAR MUITO MAS COM OUTRAS ESTRATÉGIAS.

QUE ME DESCULPEM OS BEM INTENCIONADOS !


AG

QUEM SE LIX.....

À ESQUERDA, À DIREITA, AO CENTRO A CORRIDA PARA MELHORAR O TACHO É EVIDENTE !
QUEM SE LIXA SÃO OS QUE SÃO HONESTOS, OS QUE TÊM CONSCIÊNCIA POLÍTICA, CONSCIÊNCIA DE CLASSE, CONSCIÊNCIA DE QUE ESTE PAÍS PODERIA SER MELHOR SE NÃO FOSSE MANIETADO POR GATUNOS SUPER RICOS E GANGSTERS DE FAZER INVEJA AO CAPONE.
AG

JUSTIÇA


MARILYN(S)


A ANA DRAGO EX DO "BLOCO ELEITORALISTA" E AGORA COM DINHEIRINHO NA CARTEIRA DISSE EM TEMPOS NUMA ENTREVISTA COM AQUELA LÁBIA DE CATIVAÇÃO DE BOLETINS SER UM POUCO COQUETE . DEPOIS TENTOU LIVREMENTE MAIS UM TACHINHO MAS NÃO FUNCIONOU.
AGORA APARECE DE VEZ EM QUANDO A OPINAR UMAS COISAS ORA PONDO OS ÓCULOS DO LOUÇÃ, A ROUQUIDÃO DA MARISA E A FALTA DE AR DA MARGARIDA MARTINS, E CLARO NUNCA SE ESQUECENDO DELA QUE AINDA PODE ESTAR AÍ PARA AS CURVAS..

A MARIANA AGORA BRILHA NA PATINAGEM ARTÍSTICA, OS HOLOFOTES DA BURGUESIA DÃO-LHE LUZ, ATENÇÃO, E FAZEM TUDO PARA QUE NÃO SE FALE NO PCP.

E A MARIANA GOSTA E OBEDECE ! DÁ-LHE PARA FALAR DO PCP, DO BREJNEV, E DE NICOLAS MADURO E DOS PSEUDO COMUNISMOS (palavras da moça).
A PATINADORA SE CAIR NUNCA MAIS SE LEVANTA MAS COM SORTE TAMBÉM FICARÁ COM DINHEIRO NA CARTEIRA.

ÚNICO FITO, O DELA, E O DE MUITOS DOS QUE LÁ ANDAM NAQUELA CARROÇA DO FAZ QUE É, E QUE PARECE. MAS NÃO É.

António Garrochinho